Índice

O que é gerenciamento de riscos?

Como funciona o gerenciamento de riscos?

Gestão de risco para investidores

Gestão de risco para traders

O que é a teoria do cisne preto?

Gerencie seu risco

Todos os dias nos deparamos com várias situações que, por mais simples que pareçam, podem incluir riscos em maior ou menor escala. Ações como transportar-nos de casa para o trabalho, tentar a comida num novo restaurante e mesmo tendo em linha cursos de aprendizagem, leva-nos a tomar decisões com base na avaliação dos possíveis riscos e benefícios que situações como essas nos apresentam.

Na área financeira não é diferente e muitas vezes a falta de informação nos faz pensar que os riscos são exponencialmente maiores que os benefícios por não entendermos as opções que temos disponíveis. No entanto, o gerenciamento de riscos ou “risk management” por seu nome em inglês, refere-se à tomada de decisões informadas com base no entendimento de que podemos ganhar ou perder a cada negociação, o que nos permite estar melhor preparados para qualquer resultado possível.

Apesar da incerteza que parece dominar o mundo das finanças, é possível recorrer a várias ferramentas matemáticas de gestão de risco financeiro que nos ajudam a avaliar as consequências de nossas ações e, assim, tomar melhores decisões na hora de investir ou fazer trading.

O que é gerenciamento de riscos?

Quando pensar em termos de pesquisa como “gerenciamento de riscos exemplo” ou “análise e gestão de risco” podemos recorrer a termos complicados e explicações técnicas que às vezes nos deixam mais confusos do que no início. No entanto, a análise e gestão de risco na área financeira são os processos pelos quais são determinados os possíveis reveses de um investimento, de forma a identificar uma ou mais opções para mitigar as consequências deste.

É importante mencionar que recorrendo ao risk management não eliminaremos os riscos, pois eles estarão sempre presentes, mas o que podemos fazer é obter o máximo de informações sobre os riscos que podem surgir em um investimento ou transação. Uma vez que esses riscos são definidos e delimitados, é muito mais fácil encontrar soluções e estratégias para reduzir seu impacto. É muito comum que vários investidores realizem

intencionalmente operações financeiras complicadas, e o fazem após avaliar criteriosamente os possíveis riscos de suas operações para identificar os possíveis benefícios que obterão com tais negociações.

Assim como acontece em nosso dia-a-dia com muitas das negociações que enfrentamos, há um grande número de fatores que estão além do nosso controle, mas gerenciando nossos

riscos de forma adequada, podemos otimizar nossas negociações e reduzir o impacto negativo deles sobre nossos investimentos.

Como funciona o gerenciamento de riscos?

Um dos pontos mais importantes para o gerenciamento de riscos na gestão financeira é conhecer os conceitos mais importantes utilizados neste setor. Da mesma forma, é imprescindível prestar atenção especial ao comportamento histórico dos investimentos que se deseja realizar, uma vez que, em princípio, os mercados podem apresentar diversos fatores de comportamento relativamente previsíveis. Por não ser possível controlar todas as variáveis ​​do mercado financeiro, é por meio da utilização de diferentes ferramentas básicas para gerenciamento de riscos que podemos desenvolver mais e melhores oportunidades de crescimento para nossos investimentos.

Neste contexto, plataformas como eToro nos dão acesso a um grande número de mercados de investimento e ativos e, da mesma forma, nos permitem identificar que existem diferentes estratégias de gestão de risco dependendo do ativo ou ativos em que queremos investir.

A importância de identificar o tipo de risco de cada ativo nos permite escolher as abordagens adequadas para investir nele, por exemplo, uma delas é analisar o comportamento de um ativo no passado de modo a gerar uma previsão mais precisa sobre o que tão volátil que pode se tornar em um futuro próximo. Outra abordagem clássica do chamado “risk management” é diversificar a nossa carteira de investimentos, pois, desta forma, se um dos nossos ativos não tiver o retorno esperado, reduz-se o impacto geral que pode ter nos nossos investimentos.

Em outras palavras, diversificar refere-se a recorrer a investimentos mais estáveis e de baixa volatilidade, mas potencialmente de baixo rendimento, para compensar os mais arriscados que podem ter retornos mais elevados devido à sua alta volatilidade.

Gestão de risco para investidores

A análise e gestão de risco é essencial tanto para investir quanto para negociar, especialmente quando se entende o que torna um negociante diferente de um investidor. Em geral, um investidor realiza operações de longo prazo, enquanto um trader o faz no médio e curto prazo, além do fato de também haver diferenças entre suas escolhas na compra de ativos. Por exemplo, os investidores tradicionais tendem a comprar ativos de baixa volatilidade, como títulos, enquanto os traders tendem a ir para mercados mais voláteis, como as criptomoedas.

Gestão de risco para investidores

Entre as estratégias mais comuns para gerenciar o risco como um investidor, podemos encontrar:

  • Compra de ativos de longo prazo: um dos exemplos mais comuns é o do investidor especialista Warren Buffett, que ganhou fama com o tempo por causa de sua estratégia de compra de ações que vem gerando lucros há mais de 50 anos. O ponto-chave que Buffett leva em consideração é que a empresa na qual ele tem interesse em comprar ações seja sustentável ao longo do tempo e possui uma vantagem competitiva. Dessa forma, o investimento terá retorno no longo prazo de modo quase certo.
  • Consistência nos investimentos: esta estratégia de gerenciamento de riscos nos permite otimizar nossos investimentos a partir da estabilidade que temos neles. Por exemplo, se a cada mês investimos em ações de uma empresa sustentável que também oferece dividendos, será possível manter um nível de risco mais ou menos definido.
  • Diversificação: além da consistência nos investimentos, é importante investir em diversos tipos de ativos para administrar nosso risco financeiro, caso alguns dos ativos que fazem parte de nosso portfólio sofram alguma queda. Ou seja, diversificar

nosso portfólio ou carteira de investimentos com a inclusão de diferentes empresas e ativos nos ajudará a aumentar as oportunidades de obter lucros mesmo em um período pessimista do mercado financeiro.

  • Cobertura ou Hedging: outra estratégia de gestão de risco para os investidores é a cobertura ou hedging, que, na prática, é realizar um investimento que sirva para reduzir o risco de outro. Um exemplo clássico disso é a chamada cobertura direta, que consiste em ter dois investimentos opostos de um determinado ativo.

Gestão de risco para traders

A negociação de curto e médio prazo que realizam os traders os leva a tomar decisões que acarretam riscos consideráveis ​​com mais frequência em comparação com os investidores. Portanto, ter uma estratégia clara de gestão de risco no mercado financeiro torna-se essencial para o seu dia a dia.

Gestão de risco para traders

As estratégias de gerenciamento de risco para os traders costumam apresentar algumas semelhanças com as dos investidores tradicionais, mas as diferenças são muito mais fáceis de perceber ​​no aspecto técnico, como podemos observar a seguir:

  • Stop Loss e Take Profit: duas ferramentas fundamentais disponíveis em plataformas como eToro, cujo objetivo principal é gerenciar melhor os riscos em cada operação. Já o Stop Loss, que em português pode ser traduzido como “parar perdas”, é uma ordem automatizada que fecha uma negociação quando atinge um determinado ponto de perda, evitando perder mais do que se pode assumir. Por outro lado, Take Profit se traduz em “pegar lucro” e é usado para fechar uma negociação automaticamente quando ela tem um valor definido de lucro.
  • Diversificar e fazer hedging: assim como acontece com os investidores de longo prazo, os traders podem escolher ativos de vários setores, o que ajuda a aumentar as oportunidades de lucro e minimizar as perdas. Esta estratégia é muito comum no gerenciamento de risco forex, onde a cobertura direta pode ser realizada entre moedas negativamente correlacionadas, como o euro / dólar e o dólar / franco suíço, pois quando um sobe, o outro desce da mesma forma.
  • Regras auto-impostas: cada trader tem seus próprios níveis de tolerância ao risco, porém, uma forma prática de evitar perdas é ter regras que se adaptem a cada uma de nossas carteiras de investimentos. Um exemplo nessa área é a faixa risco – benefício, que se traduz de forma prática na divisão do valor que está disposto a perder pelo montante de lucro que se planeja obter. Por outro lado, existe também a chamada regra do 1%, que significa que um trader nunca deve depositar mais de 1% de seu capital total em uma negociação.

O que é a teoria do cisne preto?

Na esfera econômica, a teoria docisne preto indica que há uma série de fenômenos imprevisíveis epouco prováveis ​​que, quando ocorrem, têm consequências consideráveis ​​na economia global. Essa teoria idealizada pelo economista Nassim Nicholas Taleb, nasceu da descoberta dos cisnes pretos durante o século XVII, pois até que eles fossem identificados, um grande número de pessoas simplesmente presumia que todos os cisnes eram brancos e não considerava a possibilidade da existência de cisnes negros.

O que é a teoria do cisne preto?

Por mais negativo que possa parecer, esse fenômeno financeiro pode se tornar uma grande oportunidade e um bom momento para investir na compra de ativos.

Por exemplo, um investidor compra ações da Tesla porque é vista como líder entre os fabricantes na revolução dos carros elétricos e autônomos, mas se outra marca conhecida como a GM desenvolver uma linha exclusiva de carros elétricos e autônomos que ganhe mais atenção no mercado, as ações da Tesla podem perder uma parte de seu valor. No entanto, isso pode significar uma oportunidade para o investidor obter mais ações da Tesla a um preço reduzido e, se a empresa posteriormente se recuperar, ele terá a oportunidade de vender suas ações a um preço mais alto e gerar lucro.

Como acabamos de descrever, a teoria do cisne preto está relacionada a eventos que não podem ser previstos, por isso é aconselhável fazer uso de quatro ferramentas básicas para gerenciamento de riscos e reduzir o impacto desses eventos:

  1. Diversificação do portfólio: no caso de chegada de um cisne preto aos mercados financeiros, ter todo o nosso capital investido em um único ativo é especialmente arriscado. Ao diversificar nossa carteira de investimentos, criamos diferentes    alternativas para gerenciar os riscos financeiros em caso de um evento imprevisto.
  2. Reavaliar: ao realizar operações de investimento de longo prazo, é comum que paremos de pensar nelas por um tempo, mas como os mercados mudam constantemente, é aconselhável revisar nossa carteira de investimentos a cada dois ou três meses. Desta forma, temos a oportunidade de reavaliar nossos investimentos e fazer ajustes se eles não estão rendendo os benefícios planejados.
  3. Copiar os movimentos dos espertos: uma ferramenta especialmente importante para iniciantes e mesmo para traders que buscam aprimorar seus conhecimentos estratégicos na área financeira é a chamada função Copy Trader da eToro. Ela permite copiar o trading de outros investidores (fazer Copy Trading) de forma     rápida e intuitiva, além do que esta ferramenta básica para gerenciamento de riscos ajuda a que qualquer pessoa possa seguir o exemplo dos traders mais experientes e fazer Copy Trade. Da mesma forma, ferramentas como a classificação de risco em trading da eToro nos ajudam a determinar quanto risco apresenta a carteira de um investidor numa escala de 1 a 10 a partir da análise do desempenho prévio dela. Isso não só permite identificar o nível de risco da nossa carteira, mas também o nível de risco da carteira dos outros traders.
  4. Se manter informado: estando sempre atualizado com as novidades financeiras, é possível encontrar novas oportunidades de investimento, assim como alertas para gerir o nosso risco na hora de investir. Plataformas como a seção de notícias e análises do eToro, relatórios financeiros e estatísticas especializadas nos oferecem informações atualizadas sobre os mercados financeiros. Além disso, jornais, revistas e     noticiários nos ajudam a entender várias mudanças geopolíticas que podem afetar os mercados.Além disso, ter informações atualizadas nos ajuda a prevenir eventos inesperados e encontrar soluções para hipotéticos problemas futuros.

Gerencie seu risco

Em conclusão, existem vários métodos para tentar alcançar um investimento de baixo risco a partir da análise da relação risco-benefício que cada ativo nos apresenta. Apesar do exposto, é muito importante ter em mente que sempre existe um risco mínimo em todas as operações, como vimos com o exemplo da chamada teoria do cisne preto.Por motivos como os anteriores, destaca-se a importância de conhecer as diferentes ferramentas e estratégias que tanto traders como investidores tradicionais utilizam. A partir delas, é possível identificar mais facilmente os possíveis riscos de cada investimento, avaliá-los e criar as nossas próprias estratégias que ajudem a gerenciar o risco ​​a curto, médio e longo prazo.


Esta informação é apenas para fins educativos e não deve ser tomada como conselho de investimento, recomendação pessoal, ou oferta ou solicitação de compra ou venda de quaisquer instrumentos financeiros.

Este material foi preparado sem ter em conta quaisquer objetivos de investimento ou situação financeira particulares e não foi preparado de acordo com os requisitos legais e regulamentares para promover a investigação independente. Quaisquer referências ao desempenho passado de um instrumento financeiro, índice ou pacote de produtos de investimento não são e não devem ser tomadas como um indicador fiável de resultados futuros.

eToro não faz qualquer representação e não assume qualquer responsabilidade quanto à exatidão ou totalidade do conteúdo deste guia. Certifique-se de que compreende os riscos envolvidos na negociação antes de comprometer qualquer capital. Nunca arrisque mais do que está preparado para perder.